quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Momentos mais, em Bragança


Mais uma manifestação de professores, mais um Momento +. Desta vez aconteceu em Bragança, integrada nas manifestações nacionais que vão ocorrer escalonadamente ao longo de todo o país, durante esta semana.
Desde muito cedo que notei que havia por parte dos colegas grande disponibilidade para participarem nesta manifestação. Contactado o transporte necessário, rumámos para Mirandela ao encontro de mais alguns autocarros que seguiriam juntos para Bragança.
Pelo caminho afinou-se a garganta para gritar as palavras de ordem já por todos conhecidas, mas a criatividade veio ao de cima, numa roupagem de canção popular. A letra, composta no momento, rezava assim:

Ministra vai-te embora
Já chega de confusão
Nós queremos ensinar
Mas com outra avaliação.

Estamos fartos de papéis
Com tantos objectivos
Por causa da papelada
Os alunos são esquecidos

Somos todos professores
Temos muito para dar
A carreira é só uma
E nada de titular

Somos todos professores
Sendo titulares ou não
A carreira é só uma
Não queremos divisão.

Com o Valter e o Pedreira
A confusão é aos molhos
Na área da educação
São penedos com dois olhos.
A "coreografia" fez sucesso em Bragança e a percussão envergonhou muitos grupos tradicionais. Fez-se a festa na Praça Cavaleiro Ferreira, lugar da concentração. A manifestação desceu depois a Rua Almirante Reis e a Rua Abílio Beça em direcção ao Governo Civil, onde se pretendia entregar uma moção a pedir a suspensão do processo de avaliação de desempenho.
O frio era muito e não havia muitas pessoas pela rua, mas ninguém desmobilizou, pelo contrário a coluna foi aumentando, acabando por encher todo o espaço existente à frente do edifício onde funciona o Governo Civil. Gritaram-se palavras de ordem, as mesmas que andamos a repetir há mais de um ano e que nunca foram ouvidas por quem não se cansa de repetir que ouve as escolas. Por momentos a porta entreabriu-se, penso que alguém terá recebido a moção.
Sentiu-se um ambiente de grande união encontrando-se presentes mais de dois milhares de docentes, ou seja, quase a totalidade de docentes existentes no distrito. Gostei de reconhecer entre os professores, muitos membros dos concelhos executivos, sinal de que nem todos deixaram de ouvir os seus pares, aqueles que os elegeram. É difícil que esta união se possa repetir nos restantes distritos mas foi um sinal muito bom, o que se procurou transmitir desde Bragança.
Independentemente da luta contra o modelo de avaliação, que o ministério da educação quer impor a todo o custo nas escolas, e contra a barbaridade da divisão da carreira docente em duas, aconteceu em Bragança um momento +. Foi bom rever os sorrisos de muitos colegas espalhados pelo distrito, alguns que não via há anos. Também a mim me apetece dizer: - Obrigado sr.ª Ministra por unir os professores.

3 olhares atentos:

Anónimo disse...

Não desistam. Vale a pena lutar pelos vossos direitos!!!
Cumprimentos a todos os professores em luta.
Anita

josé alegre mesquita disse...

eu estive lá. Aqui se viu a força da razão dos profs. Parabéns pela reportagem.

euroluso disse...

Boa reportagem.
Espero que os colegas de Bragança continuem unidos por uma escola pública democrática que expurgue do estatuto da carreira docente a ameaça de avaliação feita por comissáros políticos nomeados pelas direcções gerais.